Newsletters

 

2014 NEWSLETTER

 Foi um ano fabuloso em termos de vendas, ajudado pelo contínuo reconhecimento da qualidade da Quinta de la Rosa. Os vinhos Portugueses começam finalmente a ser mais reconhecidos e nós tivemos muitos novos clientes a comprá-los. Com base no prémio O Melhor Vinho de Portugal, alcançado com o nosso La Rosa Reserve 2011, no evento Berlin Wine Trophy, até ganhámos uma viagem á Coreia do Sul, com todas as despesas pagas!

Os Investimentos  continuaram, mas desta vez, na parte privada da casa, que estava em risco eminente de cair para a linha do comboio! Agora possuímos dois quartos mais modernos e uma sala de jantar com mais luz e mais ampla, á qual adicionamos um novo terraço. Temos agora uma casa com novos telhados e com a instalação eléctrica totalmente renovada! Pela primeira vez na vida, podemos colocar de lado os baldes, pois não há hipotese de a chuva entrar pelos tetos!

Na Suíça, a Quinta de La Rosa foi escolhida como a adega do ano 2014/15, o que se traduziu em muitas viagens para a Suíça efectuadas por nós, e para o nosso distribuidor Baur au Lac, que também visitou a Quinta por 3 vezes este ano!

O Ano nas Vinhas:  A vinha aguentou-se surpreendentemente bem num ano com tantos desafios. A floração deu-se tarde e depois o Douro foi atacado por uma praga de lagartas e oídio. As lagartas escavam fundo na uva acabada de formar e aí constróiem o seu câsulo. Esta situação afetou maioritariamente a Touriga Franca. O verão pareceu ser marginalmente mais fresco e molhado que o normal com numerosas trovoadas. Houve algumas tempestades de granizo, especialmente no princípio do verão, que afectou a parte mais alta da vinha, Lamelas foi bastante atingida. As folhas da vinha ficaram com buracos enormes provovados pelo granizo. Perdemos cerca de 20% de colheita mas somente numa pequena área em volta da casa Lamelas. Em geral, a vinha recuperou impressionantemente.

Por volta do meio de Agosto, estavamos com um atraso de duas semanas para o final da maturação e inicio da Vindima na La Rosa. Felizmente tivemos uns dias de calor intenso que ajudaram ao inicio da vindima. Iniciamos a devagar a 25 de Setembro (relativamente tarde em relação a anos recentes) pela mais delicada Touriga Franca . Em Bandeiras tinhamos começado praticamente um mês antes. Tivemos uns dias de sol maravilhosos, mas depois formaram-se muitas trovoadas e acabamos por ter chuva todas as tardes durante um periodo de cerca de duas semanas. Durante alguns dias essa chuva foi mais forte e insistente e chegámos mesmo a parar a vindima. Esta, tornou-se longa e teve o seu final a 9 de Outubro.

Não me recordo de ter tido chuva tão consistentemente durante um periodo tão longo, e estavamos receosos com a qualidade da uva. Mas, esta aguentou-se muito bem com a chuva e apesar de todo o stress (lagarta, oídium e granizo). Eu acredito que um bom granjeio da vinha na última década, com boa gestão da canópia, tornou-a mais forte e capaz de resistir aos problemas. Temos trabalhado arduamente para garantir que existe um equilibrio entre a produção e a idade da vinha, podando de modo a que a vinha só produza o que é capaz. Ao praticar uma agricultura sustentavel, tentamos ouvir a vinha muito mais de forma a minimizar a utilização de produtos fitofarmacos.

O Jorge disse ‘Quando comecei  a trabalhar no Douro, há cerca de 18 anos atrás, um ano como este teria sido desastroso com a qualidade das uvas fortemente afectada por contaminações de fungos. Iríamos assistir à formaç ão de uma nuvem de pó ao desc arregarmos as uv as na adega .’

Engarrafamentos especiais:  Pela primeira vez, engarrafámos em garrafas de 18L, 9L e 3L o La Rosa Reserve e vinhos tintos. A de 18L é seriamente grande –  pode visitar o restaurante Hedonism em Londres para ver uma!

Importadores/Vendas:  As vendas nos EUA dispararam com a chegada de várias grandes encomendas, nomeadamente para a Delta Airways onde ganhámos o concurso para o vinho do porto. Começámos a trabalhar com alguns novos importadores: Rabelo na Bélgica, Curious wines na Coreia do Sul (valeu a pena a visita do meu irmão!) e Liquor Mountain no Japão. Bastantes viagens, especialmente para a Escócia onde as vendas estão a começar a subir graças á equipa de Woodwinters. Consegui fazer jantares vínicos em três dos restaurantes Galvin - um recorde!

Visitas:  Tivemos muitas visitas de clientes e também de outros hóspedes. Os nosso novos quartos são tão populares, que estivemos quase sempre com lotação esgotada na maior parte do verão. O Douro parece ser o lugar a visitar. Harry May de Berry Bros, #mynephewJack e Tania Davey (Merchants Tavern) ajudaram durante a vindima. Uma equipa do Hawksmoor, Great Fosters, The

Lucky Onion e Harewood Arms ajudaram na pisa, assim como muitos outros! Também tivemos visitas de enólogos top de alguns dos maiores produtores de França –  nomeadamente Krug, Yquem, Beychevelle –  que ficaram impressionados com a qualidade /valor que oferecemos.

Opposite Hill Challenge:  Pela primeira vez organizámos um desafio oficial da montanha oposta á Quinta, e que consiste em atravessar o rio a nado e subir o monte. Valeu o esforço, pois houve uma grande festa á chegada! Para o ano, vamos ter o mesmo evento Sábado 20 de Junho. O tempo mais rápido a bater será de 33 mins; O meu devia ter sido dos mais lentos –  2 horas! Participem connosco!

Outras Noticias:  Fui eleita Vintner –  é uma enorme honra poder usufruir do the Vintners Hall. Sigam--me no Instagram e Twitter (@Quintadelarosa1) agora!

 

Older newsletters

Clique na fotografia para ecrã inteiro.